Manter o Nowloaded online gera custos, esses custos são pagos com doações e publicidade. Então, desative seu AdBlock no Nowloaded ou nos ajude doando!

Welcome to Nowloaded.org

Registre-se agora para ter acesso a todos os nossos recursos. Uma vez registrado e conectado, você poderá contribuir para o Nowloaded enviando seu próprio conteúdo ou respondendo ao conteúdo existente. Você poderá personalizar seu perfil, receber pontos de reputação como recompensa por enviar conteúdo, além de se comunicar com outros membros por meio de sua própria caixa de entrada privada e muito mais! Esta mensagem será removida assim que você tiver feito o login.

Pesquisar na Comunidade: Mostrando resultados para as tags ''games''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • NL - Estamos reorganizando algumas seções
    • Notícias
    • Tutoriais
    • Discussões
    • Reviews
  • Nowloaded
    • Nowloaded (Avisos, Anúncios, Dúvidas e Sugestões)
  • Área de Lazer e Outros
    • Zona da Galera
    • Mesa Redonda
    • Papo Cabeça
    • Trocas e Vendas
    • Paraíso
    • Extra
  • Games
    • Sony
    • Microsoft
    • Nintendo
    • Consoles Antigos
    • Computadores
  • Tecnologia, Computação e Design
    • Animes, Mangás e Outros
    • Tecnologia
    • Computadores
    • Séries e TV
    • Música
    • Design

Calendários

  • Calendário
  • Feriados Brasil
  • Lançamentos Filmes
  • Lançamentos Séries
  • Lançamentos Games

Encontrado 11.909 registros

  1. A Bandai Namco surpreendeu os jogadores após as finais de Tekken 7 na EVO 2017 na tarde deste domingo (16) revelando que Geese Howard, grande vilão da série Fatal Fury, será jogável em Tekken 7 a partir do final deste ano. O trailer exibido pela empresa mostra vários dos golpes do personagem, que remetem à sua versão mais recente apresentada em The King of Fighters XIV. A Geese Tower também será adicionada como cenário. Assista a seguir: Esta não é a primeira vez que a franquia conta com convidados de outras propriedades intelectuais: Akuma, de Street Fighter, atua como um dos personagens mais importantes da história de Tekken 7.... Fonte : Bruno Magalhães/truegamerrevolution
  2. Fazia tempo que eu queria criar esse tópico, mas a vida segue e acabei por protelar demais. Dito isso, finalmente estamos aqui. Quem é gamer com certeza conhece o famigerado MUGEN.Bom, muito de sua má fama é por causa daqueles cantos obscuros do youtube onde a turma posta vídeos de jogatinas de compilados de personagens desbalanceados com jogabilidade quebrada e com tantos efeitos brilhantes que poderiam causar efeitos epilépticos até nos mais fortes seres. Mas embora a liberdade de programação do MUGEN permita tais situações a ponto de coisas de má qualidade serem a maioria, é pra lá de injusto generalizar a comunidade. Afinal ainda existe uma parcela que usa seu conhecimento pra criar muito boa e interessante. Daí, em vez de compilações, vemos verdadeiros full games. Ora, mas o que seria um full game? Como o nome diz, um jogo completo - personagens balanceados, sprites, personagens e cenários padronizados, finais e ademais coisas coerentes à um jogo bem feito. Então sem mais delongas, vamos conhecer algumas dessas maravilhas: 10 - Street Fighter One Pouca gente, incluindo eu, jogou o 1º Street Fighter que saiu para NES. Bom, devo dizer que 2D tem um charme incomparável, se o jogo bons gráficos, ele certamente vai envelhecer como um bom vinho. SFI certamente teve bons gráficos para época, mas com uma jogabilidade sofrível ele acabou ficando um título curioso só para os mais fortes. Dessa forma, um fã pegou todas as sprites do jogo, repaginou a jogabilidade para algo mais confortável e nos entrega um bom material para "fins jogatinais". xD Algo que empolga é que ao zerar temos os finais dos personagens, então vale a pena, no mínimo, zerar 1x com cada personagem Status: Completo Link: http://thevalkyrieproject.blogspot.com.br/p/game-projects.html Equipe/Maker: Valkyrie_Project Vídeo: 09 - The Black Heart Que tal você conhecer um título onde você controla personagens que parecem que saíram de filmes de terror para se degladiar? Lhes convido a conherem The Black Heart. Um jogo com personagens originais, ou nem tanto, se enfrentando em lugares assombrados pra verem quem é é o rei do submundo. Bom, você vair ver além de claras referências à filmes de terror mais conhecidos, uma inspiração em jogos 'gore' como Mortal Kombat. Vale dizer que o jogo possui uma trilha sonora original e bem ambientada aos cenários. Realmente vale a pena conhecer. Status: Completo Link: http://www.theblackheart.com.ar Equipe/Maker: Andrés Borghi Vídeo: 08 - X-men: Second Coming Esse aqui se baseia no clássico HQ dos X-men. Nada como uma viagem no tempo e um vilão apelão pra se criar um conceito simples porém funcional. E esse conceito é muito bem explorado neste fangame. Embora devo adiantar que ao zerar com qualquer personagem o final é o mesmo, para seguir o canon da HQ, tudo aqui é bem construído. A screenpack (todas as telas, menu, seleção, etc.) é incrível, a quantidade de personagens é ótima, sem falar dos cenários! Confere aí! Status: Completo Link: http://www.projectx.infinitymugenteam.com/ Equipe/Maker: Infinity MUGEN Team Vídeo: 07 - KOF: Zillion Um dos MUGENs mais conhecidos, dizem que chegou até a ser elogiado por alguns funcionários da SNK na época. Um KOF bem feito com alguns personagens e cenários originais. Preciso dizer mais alguma coisa? O jogo recebeu inúmeras atualizações, mas nada mais foi dito após o fórum "oficial" - MUGEN China - desaparecer. Mas você sabe que uma vez que algo interessante cai na net, ele nunca some. Status: "Completo" - Descontinuado Link: Na descrição do vídeo abaixo. (Link não "oficial") Equipe/Maker: MUGEN China Vídeo: 06 - Castlevania Fighter Que tal você brincar mais um pouco de ser vampiro e detonar monstros em plataformas? Sim, estamos falando de Castlevania e ainda,sim, MUGEN. Embora o programa possua lá suas limitações, num 'ambiente fechado' você consegue extrapolar os limites e consegue retirar um pouco mais dele. Foi isso que o maker consegui fazer. Dê uma olhada. Status: Completo Link: http://serio.piiym.net/cvbla/ Equipe/Maker: Serio Vídeo: 05 - Mortal Kombat 2 Opa, uma lista sem Mortal Kombat não seria uma lista. Eu particularmente não sou do tipo que curte gore, por isso não conheço praticamente nada de franquia. Esse ano pretendo mudar um pouco essa situação, e aqui está uma boa razão. O maker aqui conseguiu extrair aquele extra do MUGEN. Fatalities e a "escadinha" estão presentes nesse fangame, afinal isso é que faz o MK um MK. Status: Completo Link: Na descrição do vídeo abaixo. (Link não "oficial") Equipe/Maker: Juano16 Vídeo: 04 - Babel Sword 2013 Mugen 1.1 Bom, agora você já deve ter visto que dá pra fazer coisas interessantes no MUGEN, certo? Então, que tal um shmup? Isso aí, um daqueles joguinhos de 'navinha' pra dar uma variedade à lista. Realmente curioso. Dá uma conferida nessa bela ideia. Status: Completo Link: http://mugenguild.com/forum/topics/babel-sword-2013-mugen-1-1-tatsushiyo-kakuge-screenshots-added-167230.0.html Equipe/Maker: Shiyo Kakuge Vídeo: 03 - Hyper Dragon Ball Z Provavelmente o jogo mais badalado nessa lista, não é o meu preferido, mas certamente um dos melhores já feitos com a engine. Esse jogo teve um alcance monstro onde diversos sites o divulgaram. Bom, qualidade se vende e aqui não falta. Com sprites e cenários originais, com golpes inspirados em ícones dos jogos de luta, esse HDBZ mostra que fãs realmente conseguem produzir algo tão digno ou melhor que títulos oficiais. Certamente vale a pena conhecer. Status: Em progresso Link: Na descrição do vídeo abaixo. Equipe/Maker: Z2 Team Vídeo: 02 - Art of Fury Se você é fã da SNK, deve saber que a linha do tempo deles é mais bagunçada que a própria capacidade do Barry permitiria fazer. Mas, se por alguma desculpa qualquer, como um parodoxo temporal, pudesse unir os eventos de Fatal Fury e Art of Fighting fosse possível, teríamos um título mais ou menos assim. De forma geral, o jogo é incrível e a jogabilidade lembram os dois jogos que foram responsáveis por sua origem. Ressalto que a arte deixa um pouco a desejar, por isso eu mesmo estou a atualizando lentamente, mas ainda assim é um título que merece ser conhecido. Equipe/Maker: IronMUGEN Status: Completo Link: http://mugenguild.com/forum/topics/art-fury-final-public-release-v1-0-177440.0.html Vídeo: 01 - Rurouni Kenshin: Soul and Sword E o primeiro da lista não podia ser outro. Se você foi criança ou curte animações, deve ter conhecido a história desse lendário espadachim, um ex-retalhador que se tornou um andarilho e que jurou nunca mais matar. Como um grande fã de Rurouni Kenshin (vulgo Samurai X) sempre esperei bons jogos da série, mas apenas tive um RPG competente e um jogo de luta 3D horrível para PS1. Teve um curto de ação de PS2. Mas aquele jogo bonito em 2D faltou no meu PS1. Então me permita lhes introduzir 'Soul and Sword. Para os conhecedores da série, todos os golpes e efeitos do anime estão lá, mas não se preocupe não é nada maçante, pelo contrário, foi inserido de forma dinâmica e agradável. Está em estágio beta ainda, com muitas melhores e personagens para receber. Se você conhece a série e/ou está procurando um jogo com uma ótima jogabilidade e uma bela trilha sonora, você o achou. Status: Em progresso Link: http://rk-soulandsword.blogspot.com.br/ Equipe/Maker: RKSaS Team Vídeo: MENÇÕES HONROSAS Capcom vs The World Um crossover com personagens da Capcom recebendo rivais de franquias de outras empresas. Status: Incompleto - Cancelado Link: http://mugenguild.com/forum/topics/capcom-vs-the-world-august-release-new-patch-818-152879.0.html Equipe/Maker: Sean Altly Vídeo: SHADES OF MANHATTAN 1 & 2 Uma história de espionagem industrial com aquele toque de pancadaria que um bom título de luta tem a oferecer. Status: Completo Link: http://network.mugenguild.com/seanaltly/ Equipe/Maker: Sean Altly Vídeo: Texto: Dan MRA
  3. Lenda dos games de luta Daigo Umehara testa Dragon ball FigtherZ Daigo "The Beast" Umehara é considerado um dos melhores jogadores profissionais de games de luta e ficou famoso por seu desempenho em Street Figther há alguns anos. Hoje, ele é uma lenda dos eSports e é conhecido em todo o mundo. O pro player testou o aguardado Dragon Ball figtherz, da Bandai Namco, na Tokyo Game Show 2017 e o resultado foi surpreendente. Ele jogou o game com os personagens disponíveis no teste do game de luta e mostrou suas habilidades.Confira no vídeo abaixo da transmissão. The Beast joga à partir de: 21:02 29:08 35:25 42:02 56:29 1:01:26 O game deve incluir personagens clássicos do universo de Dragon Ball, como Goku, Frieza, Vegeta e Trunks. Além disso, foi revelado que uma personagem inédita também estará no jogo, fazendo a sua primeira aparição. Dragon Ball FighterZ deve ser lançado para Xbox One, PlayStation 4 e PC no início de 2018..... Fonte : IGN
  4. Vazamentos revelam detalhes empolgantes do aguardado modo Arcade de Street Fighter V O modo Arcade de Street Fighter V nunca foi tão real As coisas não estão lá muito boas pro lado da Capcom. Muitas reclamações com Street Fighter V e seus modos de jogo e agora o mesmo com Marvel vs Capcom Infinite. A empresa parece não encontrar a receita para agradar os fãs de jogos de pancadaria. Eu sou um grande entusiasta com os dois games citados, mesmo sabendo de seus defeitos. São ótimos jogos naquilo que importa: mecânicas de luta e jogabilidade. Mas isso não é o suficiente para vender, aparentemente. Então, um grande rumor vem percorrendo a comunidade de Street Fighter V no mundo todo. Conhecido como um “data miner”, pessoa que vai atrás de dados escondidos em arquivos dos jogos para PC, X-Kira pode ter encontrado grandiosos detalhes sobre o modo Arcade de Street Fighter V. Vale lembrar, antes mesmo de nos aventurarmos nas descobertas de X-Kira, que tudo é considerado um rumor até agora. Afinal, como será o modo Arcade de Street Fighter V? Baseado nas últimas descobertas de X-Kira, tudo indica que ele encontrou qual será a sequência das lutas no modo Arcade. Em um vídeo ele demonstra que teremos 22 ícones. Dois deles são reservados para os clássicos modos bônus. Segundo X-Kira, o primeiro será o de destruir um carro, mas com a diferença de que tem algo relacionado com Abgail. O segundo será o clássico modo de destruir os barris. O restante é dividido em seções onde enfrentaremos determinados personagens da franquia Street Fighter. Por exemplo: os dois primeiros ícones trazem lutadores de Street Fighter Alpha. Os próximos seis ícones são de Super Street Fighter 2. Depois Street Fighter 3, e por aí vai. Pela maneira que os ícones são divididos e por contarmos com 14 batalhas no modo Arcade, acreditamos que os jogadores poderão escolher os seus oponentes. Por exemplo: Nos dois primeiros ícones o game apresentam Birdie e Karin (série Alpha) e nós precisaremos escolher com qual queremos lutar. O modo Arcade de Street Fighter V poderá ter essa cara Outro ponto importante é que os últimos 4 blocos são destinados aos chefes da Shadaloo. Eles poderão vir antes do sub-chefe (que na imagem mostra o Necalli) e do chefão final. Há grandes chances de termos duas surpresas aí. Uma delas é a chegada de Sagat. A outra é o chefe final. Acredito que Necalli poderá ter alguma importância nesta nova fase de Street Fighter V. X-Kira ainda diz que poderemos ter desafios relacionados ao modo Arcade. Estes desafios poderão trazer Fight Money aos jogadores. Enfim, tudo parece muito legal, mas até que a Capcom oficialize, não poderemos ficar tão empolgados.... Fonte : comboinfinito
  5. Fim de semana tem Treta, o maior torneio de jogos de luta do Brasil Tradicional evento anual reúne maiores nomes do cenário latino-americano de fighting games em grande celebração com disputa ranqueada de SFV e torneios de vários títulos Treta. Substantivo feminino de origem latina e significados múltiplos. Para o rapper Pregador Luo, "São Paulo, vish, é muita treta". E os paulistanos chamam biscoito de bolacha, o que quase sempre gera muita treta com os cariocas. Uma boa treta empolga de trolls de internet a esgrimistas. Os últimos, entretanto, usam a palavra para definir um bom combate de espadas dentro do espírito olímpico. Ou seja: sem treta. Para os amantes de fighting games, Treta é sinônimo do maior campeonato de jogos de luta do país. Neste fim de semana, os principais nomes do cenário competitivo da a América Latina se encontram no campus Prado Velho da PUCPR, em Curitiba, para a sétima edição do Treta Championship. Criado em 2010, o campeonato de fighting games já recebeu grandes nomes como Peter “ComboFiend”, Ryan Hart e o atual campeão da Evo, Hajime "Tokido". O CEO, competidor e faz tudo do Treta, Giovane Lurezonski, se orgulha do crescimento do torneio ao longo dos anos: Considerado um dos "Deuses dos fighting games", japonês Tokido enfrentou PauloW3b (Foto: Reprodução) O Treta Championship 2017 faz parte do circuito oficial de Street Fighter V da Capcom, e também conta com torneios de Injustice 2, Mortal Kombat XL, Killer Instinct, Tekken 7, King of Fighters XIV, Guilty Gear Xrd Rev 2, Super Smash Bros, Street Fighter 2X e Marvel vs Capcom Infinite. Além disso, também vai acontecer uma disputa do jogo brasileiro G.U.T.S. Principal expoente de SFV no país, o carioca Thomas "Brolynho" Proença ressalta os efeitos colaterais benéficos do TRT LATAM no contexto do cenário brasileiro: - Ele é o torneio mais tradicional de jogos de luta que temos aqui no Brasil. Ele se mantendo frequente é importante para que a gente tenha eventos em outras regiões. No Rio de Janeiro temos o Fight in Rio, em Curitiba também. É importante para manter a cena sempre movimentada com torneios grandes. Mais do que um fim de semanas de competições, a organização considera o Treta Championship como uma oportunidade de aproximar a comunidade de jogos de luta. Entre outros atrativos, uma parceria com a PUCPR oferece área para acampamento no mesmo local do evento, o que reduz consideravelmente o valor do investimento com hospedagem e transporte para os jogadores. - Além do torneio, é uma grande celebração. Vem jogadores de todo o Brasil e da América Latina. O evento é uma grande festa anual. O pessoal que quiser pode dormir na PUC. Rola um camping lá. Tem vestiário e tudo. A gente pede pizza e fazemos pilhas de caixas do tamanho de uma pessoa - brincou Guilherme. O Treta Championship acontece entre 30 de setembro e 1 de outubro, no no campus Prado Velho da PUCPR, em Curitiba.... Fonte : E-SPORTV
  6. Street Fighter: 30 anos do nascimento de um gênero Publicado em 30 de agosto de 2017 às 12h23 por Jeff Kayo/Joven Nerd Street Fighter é a franquia mais importante dentro desse mundinho que tanto amamos dos jogos de luta. Ela é a responsável pela criação de um gênero inteiro de pancadarias virtuais, dos desvios de verbas de traslado e alimentação, e principalmente, das discussões sobre o fato de Smash Bros. ser ou não um jogo de luta. Chegar aos 30 anos completamente em forma é algo que poucos jogos conseguem. Mesmo se considerarmos o hiato de quase 10 anos sem um Street Fighter inédito, ninguém ficou na geladeira. O aproveitamento dos personagens de Street Fighter em crossovers entre empresas, ou misturado com outras séries da própria Capcom foi de 100%, isso sem contar todos os relançamentos requentados de edições de aniversário com coletâneas das séries já consolidadas. Dentro do gênero, gosto de pensar em Street Fighter como uma espécie de Novo Testamento dos jogos de luta. Combates entre homens no formato um contra um podem ter dado as caras bem antes do jogo da Capcom – daí o Velho Testamento, mas o Messias que desencadeou a revolução, a chamada “Golden Age” das lutas, estabelecendo um monte de regras específicas do estilo foi Street Fighter. Ou melhor, Street Fighter II. Não tenha dúvidas: Street Fighter II é o jogo que você conhece. Retsu quem? Geki aonde? Lee? Os personagens de Street Fighter, salvo algumas exceções, nunca conseguiram cair no gosto da galera. Mas por quê? Simples, porque jogávamos apenas com Ryu e Ken – e esse último, só quando alguém entrava contra. Com oito lutadores à sua disposição, a maioria deles únicos (não estou falando de você, Ken), ficava bem mais difícil aprender a jogar e conhecer todos os lutadores. Não só isso, mas aprender a lutar contra todos e entender o comportamento do seu adversário também era essencial. O “meta” surgia. Tecnicamente o jogo era impecável. Tanto que até hoje pode ser jogado de maneira séria. Acertos que na verdade eram erros (como a história de que os combos do jogo eram um acidente de desenvolvimento), personagens estilizados e super criativos – mesmo que nós brasileiros tenhamos sido vistos como monstros verdes para eles – e a trilha sonora imortal de Yoko Shimomura que reconhecemos de imediato até hoje. Arrecadou rios de dinheiro nos fliperamas de bairro. Dali em diante, a Capcom agarrou o osso. Levou os lutadores de rua para os confins do universo, colocou-os em crossovers inusitados, contou histórias do passado e também do futuro, expandiu a família. E nem comecei a falar sobre quadrinhos, televisão e cinema. Aquele tal de lore Um dos maiores problemas na hora de adaptar a história de Street Fighter para fora dos games é acertar a sua narrativa. E a única obra que conseguiu fazer isso foi longa-metragem inspirado no game de 1994. Street Fighter II: The Animation conseguiu captar a essência do jogo simplesmente pelo fato de não querer que todos os personagens fossem principais de alguma forma. E também não fizeram todos terem algum tipo de relação mais profunda como a série Victory, ou mesmo colocar todo mundo como amiguinho lutando contra o mal, do jeito que Street Fighter V fez. Some isso a uma coreografia de combate elaborada por dois artistas marciais do mais alto calibre – Kazuyoshi Ishii, fundador e mestre do Seidokaikan Karate (um derivado do Kyokushin), além de ser o criador do K-1, uma organização privada de lutas marciais, e Andy Hug, um dos maiores e mais importantes karatekas que já pisaram num ringue. O roteiro de Kenichi Imai era simples, mas extremamente funcional. Ao mesmo tempo que não inventava relações entre os personagens, desenvolveu todo um passado não contado que já existia entre os personagens Ryu e Ken, mostrando um pouco da juventude de ambos e os percalços que precisaram superar até serem os lutadores apresentados no game. O sucesso foi tanto que essa pequena mostra foi responsável pela criação de uma série própria nos videogames, Street Fighter Alpha (ou Zero, no Japão). O estúdio responsável pelo longa ainda tentou repetir o sucesso com a série de TV (acertaram médio, vai) e também no lançamento do OVA de Street Fighter Alpha, dividido em duas partes. Desta vez com uma trama meio estranha, focada num irmão perdido de Ryu e um vilão meia boca qualquer. É bonito, sem dúvidas, mas vazio de conteúdo. De mangás de destaque, provavelmente os que merecem a sua atenção fazem parte da série lançada no Brasil pela Editora NewPop. Street Fighter Alpha e Ryu Final (este inédito no país, infelizmente) contam de forma impecável histórias que se passam em Street Fighter Alpha e Street Fighter III, respectivamente. Trabalho excelente de Masahiko Nakahira, preciso ressaltar. Não só de sucessos viveu a franquia Street Fighter. As tentativas de transformá-lo em filme com atores reais foi de mal a pior, literalmente. O filme com Van Damme, Raul Julia e Kylie Minogue não poderia manchar mais o currículo (até então) invejável de Street Fighter. Aí tivemos A Lenda de Chun-Li e bem, não dá para vencer sempre. Engraçado é que vindo de um lado completamente “amador”, a série para internet Assassin’s Fist, acabou com a ilusão de que a história de Street Fighternão poderia ser contada com atores reais e até ganhou uma continuação (que não foi tão legal assim). Presente e futuro Podem falar o que quiserem por aí. Comemorar 30 anos e ainda ser relevante dentro de um gênero um tanto recluso quanto os jogos de luta é um marco. Street Fighter V pode não ser o que alguns de vocês esperavam, mas continua firme e forte atraindo a atenção de muitos espectadores para si. Os problemas o perseguem desde o seu lançamento. Se por um lado ele atraiu a atenção para si com uma nova visão de esport para o gênero, por outro havia deixado o consumidor casual na mão. Aquele cara que só queria se divertir com a campanha para um jogador e desvendar a história da nova iteração do game precisou esperar meio ano até receber a tal atualização com o modo de jogo. E entendo perfeitamente a frustração desse jogador. O formato de negócio adotado por Street Fighter V é diferente – compre o game, não pague mais por nenhuma atualização. É um novo capítulo dentro de um universo que nasceu da venda abusiva de fichas para seu uso em chefes impossíveis. Diferente do passado, hoje quem gasta com o jogo não é o dono do fliperama, mas sim o jogador. E ele não vai gastar com qualquer lançamento. Street Fighter V tem um plano de vida para muitos anos ainda. E com trintão nas costas, não dá mais para viver só de requentamentos e edições especiais de clássicos de outrora. Com certeza eles tem um pessoal tomando nota das reclamações e bolando saídas criativas para se reerguerem do baque que foi a segunda temporada do game. Menat, a nova integrante do elenco é prova viva de que estão pensando um pouco fora da caixa (de Street Fighter). Fica aqui meus sinceros parabéns a série, responsável pela criação do gênero que me fez cabular muita aula na escola (mas nunca repeti um ano, não recomendo isso, aliás). Espero de verdade que este ano não passe batido em termos de comemorações. Onde tudo começou Engraçado pensar que o criador de Street Fighter também foi responsável pela disputa de mercado entre duas das maiores empresas da época, Capcom e SNK. E não estou falando isso de forma metafórica. Takashi Nishiyama, diretor do jogo, também é o estopim da rivalidade entre as empresas que perdurou mais ou menos por 15 anos. Após deixar a Capcom ao lado do colega de equipe Hiroshi Matsumoto, o criador do “hadouken” foi tentar a sorte em outra desenvolvedora de arcades, a Shin Nihon Kikaku, ou SNK. E lá a dupla aplicou suas recém-adquiridas habilidades para o desenvolvimento dos jogos de luta e criou as maiores franquias da empresa. Fatal Fury, Art of Fighting, Samurai Spirits, The King of Fighters, tudo era assinado por eles. Demorou para que alcançassem algo no nível técnico de Street Fighter II (mestres abençoados Yoshiki Okamoto, Akira Nishitani e Yoko Shimomura), mas aos poucos galgaram seus passos. Não bastasse isso, ao sair da SNK e fundar com outros ex-funcionários a DIMPS, quando que ele se imaginaria mais uma vez dentro de algum projeto envolvendo Street Fighter? E foi exatamente o que aconteceu quando sua empresa trabalhou em conjunto com a Capcom no desenvolvimento de Street Fighter IV. E veja só, outro game considerado um ponto de partida para o nicho dos jogos de luta.....
  7. A Remedy Entertainment anunciou nesta sexta-feira (12) que o game Alan Wake deixará de ser vendido na Xbox Live e Steam após o dia 15 de maio. Segundo o estúdio, a remoção está relacionada com a expiração do licenciamento de algumas músicas presentes no jogo. Por isso, Alan Wake ficará com 90% de desconto em ambas as versões digitais, a partir deste sábado (13). Atualmente, o preço do jogo para Xbox 360 e PC está R$ 69 e R$ 56, respectivamente. "Alan Wake terá 90% de desconto no @steam_games a partir de 13/5. O jogo será removido das lojas após 15/5 por conta de licenças de música expirando", lê-se no tweet do estúdio. Vale notar que a remoção da venda do game não significa que o título também será removido da biblioteca daqueles que já o possuem. Enquanto isso, a Remedy deve anunciar um novo jogo em breve. Em 2016, a desenvolvedora demonstrou interesse em trabalhar em títulos multiplayer. F Esse jogo é sensacional, uma pena que vai sair por problemas de licença.
  8. Após lançar Bayonetta para PC, a Sega começou a divulgar teasers do que poderia ser a chegada de Vanquish, jogo de tiro em terceira pessoa original de PS3 e Xbox 360, aos computadores via Steam. Agora é oficial, o game poderá ser adquirido a partir de 25 de maio na plataforma da Valve. A Sega promete suporte a resolução 4K, "muitas opções gráficas", suporte completo a teclado e mouse e taxa de quadros por segundo destravada. Para acompanhar todas essas novidades, há um belo trailer, veja abaixo: Vanquish já está disponível em pré-venda e aqueles que possuem Bayonetta em suas bibliotecas poderão adquirir o shooter da Platinum Games com 25% de desconto. No Steam, a versão disponível é a Digital Deluxe, por R$ 36,99 , que inclui prévias de músicas da trilha sonora do game, avatares de personagens e inimigos, livro de arte digital e papéis de parede exclusivos. F Eu vou...comprei.
  9. A SEGA revelou planos para reviver suas "maiores franquias" durante uma napresantação compreendendo o "Trajeto até 2020", divulgado após os relatórios financeiros do ano fiscal encerrado em 31 de março. A apresentação não especifica quais "maiores franquias" a Sega pretende trazer de volta aos holofotes, mas reitera que a companhia também quer expandir suas propriedades em atividade, além de buscar novas IPs. Em outro ponto do documento, a Sega nota que lucro está "em tendência de recuperação" após reformas estruturais de negócios ao longo de 2016 e 2017. A empresa espera mais crescimento daqui para a frente. A SEGA divulgou recentemente seus resultados financeiros, que foram positivos com relação aos games, com o lançamento de títulos como Total War: Warhammer e Persona 5 -- e mais vendas "robustas" e contínuas de Phantasy Star Online 2. F Boa Sega!
  10. Está chegando no mundo de Tekken agora e quer entender o que diabos está acontecendo na história desse jogo? A Bandai Namco está lançando em seu canal do YouTube um resumo da história de Tekken… em 8-bit. Os personagens, cenários e músicas ganham uma nova roupagem para recontar a história de Kazuya, Jun, Jin e todo o resto da galera – com muitas doses de humor e pancadaria pixelada, é claro. O primeiro vídeo da série explica a história de Tekken 1 até Tekken 3. O jogo celebra os 20 anos da franquia retornando às origens, com lutas de um contra um e uma história centrada no clã Mishima, com foco na nova personagem, Kazumi Mishima, que também entrará no combate. Tekken 7 será lançado em 2 de junho para PlayStation 4, Xbox One e PC. F Que loko!
  11. O maior período de promoção do Steam, o Summer Sale (“Promoção de Verão” ou, no nosso caso, de inverno), já tem data para acontecer, segundo algumas imagens vazadas do Steamworks: entre 22 de junho e 5 de julho. A imagem original foi publicada no Reddit pelo usuário deliteplays, mas depois foi confirmada pelo Jelman21, que postou uma segunda screenshot. Os desenvolvedores do Steamworks afirmam que a Valve os comunicou sobre a própria promoção para que possam preparar descontos e outras ofertas. Considerando de onde esta informação surgiu, é bastante provável que estas datas estejam corretas, a menos que a Valve decida alterar por conta do vazamento. Por outro lado, todo ano a data é divulgada antes da hora para o público e isso não aconteceu. O jeito é fazer as contas para tentar prevenir o rombo no extrato por comprar jogos que, possivelmente, sequer vamos instalar. F
  12. Sem aviso prévio, a Microsoft Studios anunciou que o relançamento de Phantom Dust chegará para o Xbox One e PC como um título do programa Xbox Play Anywhere nesta terça-feira (16). O game será gratuito para todos os jogadores. A novidade foi divulgada por Aaron Greenberg, líder da visão de marketing do Xbox. Vale notar que o relançamento de Phantom Dust não é exatamente um remake, mas oferece muitas melhorias nas mecânicas e principalmente na resolução -- como rodar a 1080p no Xbox One e em até 4K no PC. Este não é o fim da franquia Phantom Dust. Na E3 2014, a Microsoft Studios anunciou que estava trabalhando em um reboot da série, que até o momento não teve nenhuma outra informação divulgada. F
  13. A segunda expansão de Ghost Recon: Wildlands será Fallen Ghosts e chegará ainda neste mês. O conteúdo será lançado no dia 30 de maio para os jogadores que compraram o Passe de Temporada do game e em 6 de junho de forma individual. O DLC vai adicionar 15 novas missões, ambientadas após a história principal do game, de acordo com a UbiBlog. O nível máximo de XP dos personagens também será aumentado para 35 com a chegada do conteúdo. A expansão acompanha os Ghosts tentando sobreviver após uma queda de avião, presos em uma selva como consequência. Ainda pior, o grupo será perseguido por uma facção chamada Los Extranjeros, que possui quatro tipo de variações de inimigos. Também haverá quatro novos chefões para os jogadores enfrentarem e três regiões para serem exploradas. F
  14. Um abaixo-assinado criado na página e-Cidadania, em que qualquer usuário pode apresentar ideias de projetos de lei nacionais, propõe ao governo a redução de impostos sobre jogos eletrônicos. Após conseguir mais de 74 mil apoiadores, a sugestão legislativa será discutida na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH) do Senado. A notícia foi divulgada pelo canal oficial do Senado Federal, que informa que o "senador Telmário Mota (PTB-RR) foi designado relator da matéria e deve emitir parecer inicial sobre a sugestão". A proposta foi publicada por Kenji Amaral Kikuchi, do Rio de Janeiro, no dia 8 de maio. F
  15. Se você é fã do robozinho azul da Capcom, provavelmente já se deparou com Mega Man 2.5D, um jogo de fãs que prometia trazer o clássico personagem para um título com novas ideias. O jogo está finalmente pronto e a equipe responsável lançou um trailer para celebrar o lançamento. Mega Man 2.5D traz algumas novidades para a franquia. O jogo tem uma perspectiva em 2D, mas com cenários em 3D que pode ser girado em determinados momentos. Além disso, é possível jogar em modo cooperativo com um amigo controlando Protoman para encarar o Dr. Wily e seus robôs. É um fato que a Capcom tem deixado Mega Man na geladeira há muitos anos e as únicas aparições do robô azul e suas diferentes versões tem sido em jogos de crossover, como Super Smash Bros., Project X Zone e Marvel Vs. Capcom. Mas este tipo de projeto mostra que os fãs ainda têm interesse no personagem e seus games. Marvel vs. Capcom: Infinite será lançado apenas no fim de 2017 Ultimate Marvel vs. Capcom 3 ganha data de lançamento no Xbox One e no PC Mega Man 2.5D está disponível gratuitamente na página oficial de Peter Sjöstrand, que comandou o projeto. Fonte: Jovem Nerd
  16. O estúdio francês Sloclap, composto de ex-desenvolvedores de Watch Dogs e Ghost Recon, anunciou a data de lançamento de Absolver. O game de luta online altamente personalizável chegará para PlayStation 4 e PC em 29 de agosto. Para acompanhar a novidade, um novo trailer foi divulgado, dando uma geral no sistema de combate do game. Jogadores investem em diferentes estilos de luta para criar seus próprios combos e táticas. Em Absolver, você está na pele de um 'Prospect', que se junta a "uma força de elite de combatentes" chamados Absolvers para manter o mundo em uma situação estável. Jogadores andam pelo mundo para aprender novos estilos de luta, ataques, poderes e armas enquanto lutam com guerreiros "em um sistema intenso de ação em tempo real, com todos os aspectos de gameplay sendo personalizáveis". "Atingimos nosso objetivo do gameplay de Absolver ser acessível", diz Pierre Tarno da Sloclap em texto publicado no PS Blog. "Não é necessário altos níveis de destreza para jogar, mas os usuários serão desafiados em outros quesitos como timing, reflexo, observação e memória. Temos profundidade o suficiente para tornar cada luta única." Absolver chega em 29 de agosto para PlayStation 4 e PC. F A ideia é interessante.
  17. The King of Fighters XIV, lançado no Verão do ano passado na PS4, está a caminho do Steam. A SNK deu a notícia durante uma conferência de imprensa na China. Sabe-se que esta versão contará com uma beta fechada e as pré-reservas estarão disponíveis ainda este mês. Não foi mencionado se haverá a possibilidade de cross-play entre plataformas. The King of Fighters XIV permite aos jogadores escolherem entre mais de 50 lutadores diferentes no jogo para criar o seu próprio grupo. Nas últimas semanas o plantel de lutadores sofreu um aumento com a inclusão de Whip, Ryuji Yamazaki e Vanessa. F
  18. O último relatório financeiro da Capcom revela que Resident Evil 7 biohazard vendeu 3,5 milhões de unidades no PS4, Xbox One e PC. Já Monster Hunter XX de 3DS, disponível apenas no Japão, vendeu 1,7 milhão de unidades. Por fim, Resident Evil 6 alcançou a marca de 1 milhão no PS4 e Xbox One. A Capcom comenta que tanto RE7 quanto Monster Hunter ficaram abaixo do esperado (4 milhões e 2 milhões, respectivamente). No entanto, a perfomance do jogo de terror foi sólida, enquanto que Monster Hunter começou a vender de forma promissora, segundo a Capcom. Vale ressaltar também que Dead Rising 4, que tinha uma meta de 2 milhões, acabou não alcançando nem 1 milhão de unidades. Monster Hunter Stories, disponível apenas no Japão, também vendeu abaixo do esperado. F Acho que a Capcom colocou uma meta muito alta para ele. Vendeu muito bem até, mas não chegaria a essa marca tão cedo.
  19. Confira os detalhes a seguir, vindos de entrevistas com Katsuhiro Harada com os sites GameSpot, IGN e VG247: Haverá punição para quem desconectar de partida online, porém não podem entrar em detalhes ainda; Kazuma Kiryu da série Yakuza é o personagem visitante mais pedido pelos fãs, segundo Harada. Porém, não há nenhum indício de que ele será selecionado; Da mesma forma, mais personagens de Street Fighter também podem ser improváveis; Harada comenta que com o jogo saindo nos Arcades primeiro, é possível obter bastante retorno dos fãs e polir bem o jogo antes de lançá-lo para consoles. Infelizmente, como não há mais uma cultura de Arcades no Ocidente, os fãs só podem interagir nesse sentido assistindo a partidas online; Tekken 7 terá DLC gratuito, pago e um Season Pass. Com isso, há planos de oferecer suporte ao jogo por pelo menos 1 ano; O suporte ao PS VR não será em primeira pessoa. Você poderá ver com detalhes os personagens e os cenários de uma forma nunca vista antes, mas como um espectador. Harada diz que uma visão em primeira pessoa não daria certo no jogo; Por fim, Roger Jr., o canguru boxeador, não fará parte do jogo. Segundo Harada, um vídeo de um homem socando um canguru viralizou na internet e isso acabou gerando problemas para sua equipe. Devido a esses ativistas, Harada ficou com receio de inserir o personagem no game e gerar polêmica desnecessária. No entanto, o urso Kuma estará no título por ser justamente um urso, um animal que é obviamente mais forte que um ser humano, nas palavras de Harada. F
  20. Durante a apresentação dos mais recentes resultados fiscais, a Capcom falou sobre os seus planos para o próximo ano fiscal, onde pretende lançar dois grandes jogos. Um deles é Marvel vs Capcom Infinite enquanto o outro é desconhecido. Numa altura em que os rumores de Monster Hunter 5 aguçam a curiosidade dos fãs, a Capcom confirma que até Março de 2018 colocará nas lojas um título de grande perfil. A Capcom nada falou sobre este jogo misterioso de alto perfil e provavelmente só o fará na E3, mas revelou a intenção de apostar nos remasters. Enquanto procura vender mais unidades dos jogos lançados, a Capcom apostará no lançamento de jogos de outras gerações nas atuais consolas e PC. Um dos objetivos é aumentar os lucros com estes projetos e com o formato digital. A Capcom partilhou ainda que a Nintendo Switch passará a ser incluída no desenvolvimento multiplataforma. F
  21. Os diversos jogos de Onimusha são considerados por muitos jogadores como jogos de culto, e não é em vão já que a série foi uma das franquias mais bem sucedidas durante a geração da PlayStation 2. A Capcom está ciente disso, e recentemente partilhou informações sobre o futuro de Onimusha. Já anteriormente, Yoshinori Ono, que trabalhou em vários jogos da série, tinha comentado ao Dailystar sobre o interesse em reviver o jogo. Por outro lado, Masachika Kawata, director de Resident Evil 7: Biohazard, falou sobre a boa recepção da franquia e seu possível regresso. Quando lhe questionara directamente se a Capcom estaria interessada em trazer Onimusha para a actual geração de consolas, ele respondeu: Só para ter uma ideia de como foi importante Onimusha para a Capcom, o primeiro jogo da série foi o primeiro jogo PlayStation 2 a vender mais de um milhão de cópias. Vamos ter que aguardar para que a Capcom confirme se está a planear desenvolver um novo jogo da série ou se estará apostando em fazer um remake dos jogos antigos. Fonte: Gamevicio esta ai uma franquia que merece um retorno de qualidade, e desse estilo de temática que sinto falta nos dias de hoje.
  22. A Riot Games anunciou na última quinta-feira (27) que Felipe "Yoda" Noronha, jogador da Red Canids, será suspenso temporariamente do Mid Season Invitational 2017 (MSI) -- que está sendo sediado no Brasil -- por fazer um comentário racista em sua rede social. Yoda teria postado em seu Twitter: "Já passei gritando 'flango' no quarto de hotel dos 'japoronga' aqui é BR full trab flw", e um fã de League of Legends, que se apresentou como clayitinho questionou a atitude do jogador profissional na rede de fóruns Reddit. De acordo com ele, Yoda teria "insultado os jogadores japoneses com a palavra 'flango' (ele escreve com 'L' para insultar ainda mais, porque no idioma japonês eles não pronunciam a letra 'R') e terminaria chamando-os de 'japoronga', outro insulto aos japoneses em português". O usuário também relembra outros casos de racismo que aconteceram ao longo do cenário competitivo de League of Legends com asiáticos: em 2016, casters norte-americanos foram suspensos após afirmar que os pensamentos de Bae “Bengi” Seong-ung, ex-jogador da SK Telecom T1, seriam algo como "ching chang chong". Já em 2014, o cyberatleta Dennis “Svenskeren” Johnsen atualizou seu nome no serviços taiwanês para “TaipeiChingChong”. A Riot Games multou a Red Canids em US$ 2 mil e suspendeu o jogador de participar dos três primeiros jogos do campeonato internacional (leia o comunicado oficial da empresa aqui). Yoda tentou se desculpar nas redes sociais após o ocorrido, mas deletou os tuítes após certo tempo. A Red Canids também fez um pronunciamento oficial sobre o assunto. Leia na íntegra abaixo: "Nós, da RED Canids (incluindo o jogador Felipe "Yoda" Noronha), repudiamos qualquer e todo tipo de racismo e xenofobia. Não temos controle sobre o que os nossos jogadores falam em suas redes sociais, mas tenham certeza que em momento algum nosso jogador teve qualquer intenção de ofender ou prejudicar alguém com seu Tweet. Foi uma brincadeira, mas que houve consequências e não irá se repetir. Não tiramos, em momento algum, a razão da Riot e aceitamos a decisão tomada. Nosso jogador entende também que ele representa algo maior neste momento, ele está representando um país, e fará de tudo para se retificar e se desculpar perante seus atos. Atenciosamente, Felippe Corradini CEO - RED Canids" A Red Canids vai representar o Brasil durante a MSI 2017, que começa nesta sexta-feira (28). Confira os dias e horários em que os jogadores irão participar abaixo: 28 de abril: 15h: Red Canids (Brasil) e Dire Wolves (Austrália) 17h: Red Canids (Brasil) e Rampage (Japão) 20h: Red Canids (Brasil) e Supermassive eSports (Turquia) 30 de abril: 15h: Red Canids (Brasil) e Rampage (Japão) 17h: Red Canids (Brasil) e Dire Wolves (Austrália) 20h: Red Canids (Brasil) e Supermassive eSports (Turquia) Serão ao todo 13 equipes na fase de entrada do MSI 2017, competindo pelo prêmio de US$ 250 mil e pelo troféu do primeiro split. O segundo lugar vai levar US$ 100 mil, enquanto o time que ficar em terceiro lugar vai ganhar US$ 50 mil. A fase de entrada do MSI 2017 vai acontecer entre os dias 28 de abril e 6 de maio, e terá transmissão e etapas presenciais em São Paulo, nos estúdios da Riot. Já no Rio de Janeiro, serão sediadas a fase de grupos, que será entre 10 e 14 de maio, e as finais serão realizadas entre os dias 19 e 21 de maio. F Tem que se fuder mesmo. O otário não sabe que em japonês , é o L que não é pronunciado, e não o R. Aposto que para ele, todo asiático é igual.
  23. São mais de 20 anos de crossover entre Marvel e Capcom e 2017 vai marcar o retorno de uma das mais amadas franquias de luta, que ao mesmo tempo busca trazer os mesmos elementos que a fizeram conhecida buscando novos jogadores, que certamente se tornaram fãs dos heróis por conta dos filmes. Marvel vs. Capcom Infinite tenta agradar jogadores casuais e pro players e chega para PlayStation 4, Xbox One e PC em 19 de setembro. A pré-venda do game em versão digital começa nesta terça-feira (25) e inclui as edições Standard, Deluxe e Collector's na América do Norte, e no Brasil apenas em formato digital nas edições Standard e Deluxe. Os bônus de pré-venda para todas as edições na América do Norte são as roupas Thor Guerreiro e Evil Ryu. Os bônus de pré-venda da Edição Deluxe em todos os territórios incluem Thor Guerreiro e Evil Ryu, além das roupas Hulk Gladiador e X Command Mission. A edição Standard traz o jogo e a Deluxe o passe de personagens 2017, que contém todos os personagens adicionais pós-lançamento, incluindo Sigma, o principal antagonista da série Mega Man X. Preços digitais: PS4 - a versão Standard sai por R$ 249,90, já a Deluxe custa R$ 344,90; o Character Pass sai por R$ 91,90. No Xbox One - versão Standard sai por R$ 249,00, a Deluxe por R$ 344,00 e o Character Pass será vendido por R$ 91,00. Já noPC, a versão Standard custa R$ 129,99, a Deluxe R$ 199,99 e o Character Pass R$ 69,99. O jogo foi revelado oficialmente durante o evento PlayStation Experience em dezembro de 2016, apresentando Ruy e Mega Man X do lado da Capcom e Capitã Marvel e Homem de Ferro do lado da Marvel. Morrigan e Capitão América também foram confirmados. Agora, com este novo trailer (assista acima), o game recebe Hulk, Thor, Gavião Arqueiro, Rocket Racoon e Ultron do lado da editora de quadrinhos e Chun-Li, Strider e Chris Redfield do lado da produtora de games, uma lista com 14 lutadores. Muitos outros serão revelados até setembro e haverá um passe com DLC de personagens extras. O game volta ao esquema de duplas (até Ultimate Marvel vs. Capcom 3 você podia escolher três lutadores) que remete às origens da franquia. O esquema de combos gigantescos retorna, com a possibilidade de o segundo personagem participar mais ativamente dessa ligação de combos e, para ter mais estratégia de combate, chegam as Gemas do Infinito. Elas trazem um sistema de gameplay que muda completamente o modo com a qual se joga Marvel vs Capcom -- e já aproveita a chegada do filme Vingadores: Guerra Infinita para popularizar ainda mais o jogo. Um dos focos da Capcom e trazer um inédito Modo História que vai se apoiar no Universo Cinematográfico da Marvel -- a editora está trabalhando próximo da Capcom para criar o roteiro que seja autêncito aos quadrinhos e aos novos filmes, mantendo a mesma qualidade. Afinal, fãs estão acompanhando os heróis no cinema e nada mais justo de o game trazer uma roteiro inédito. O enredo conta sobre uma fusão dos mundos das duas empresas, o que faz criar parcerias e rivalidades entre os personagens. A história terá cerca de 2 horas de duração. Já o DNA da Capcom está no gameplay autêntico, rápido e cheio de profundidade, buscando atender as expectativas de pro players, dos fãs e de quem está chegando agora. Desde o lançamento, a empresa promete muito conteúdo para o jogo. Haverá modo arcade, modo treino, modo missões e uma gama de opções de jogabilidade online com leaderborads, lobbys, assistir como espectador e partidas casuais e rankeadas. Como o game é um crossover entre Marvel e Capcom, há uma grande fusão de mundos. Assim, surge um novo vilão, Ultron Sigma, que é a união de Ultron e de Sigma. Além dos heróis das duas empresas estarem juntos, os cenários também se fundem como Xsgard, fusão entre Asgard e a cidade de Mega Man X, por exemplo. F Character Pass...
  24. A Bandai Namco anunciou a chegada de Dark Souls III: The Fire Fades Edition, uma versão completa do RPG de ação desenvolvido pela FromSoftware. Incluindo as duas expansões do game, o pacote chega nesta sexta-feira (28) para PlayStation 4 e Xbox One, pelo valor sugerido de R$ 199,90. The Fire Fades Edition oferece aos jogadores a experiência completa de Dark Souls III, com os DLCs Ashes of Ariandel e The Ringed City. "Jogadores terão de se aventurar em uma jornada por Lothric e superar os piores obstáculos possíveis". Essas duas expansões fazem parte do passe de temporada de Dark Souls 3 e também podem ser adquiridas separadamente, caso você já possua o jogo base e apenas deseja completar seu game com os DLCs. F